A CIDADE
 
 
Baependi
A economia do município é baseada na agricultura, no comércio, no artesanato, na comercialização de pedras de quartzito e no turismo, já que a beleza natural é o forte da cidade, cercada de montanhas, matas, rios e inúmeras cachoeiras. 
  • Cachoeira da Juju A mais distante da cidade e de difícil acesso. Aproximadamente 70 metros de queda d’água.
  • Cachoeira da Usina Muito próxima a cidade. Pequena queda e lago para nadar. A queda é formada pela comporta da usina hidrelétrica. A usina é de 1911.
  • Cachoeira do Inferninho Mais afastada do centro da cidade. Grande queda d’água, muito bonita e perigosa.
  • Cachoeira Gamarra Espraiado do Gamarra é uma pequena queda d’água com um grande lago para nadar. Fácil acesso com estacionamento e bar.
  • Cachoeira Itaúna ou Bugio Pequena queda d’água com muita ducha e escorregador de pedra. Fácil acesso, com estacionamento, bar e campo de futebol. Seguir estrada sentido Baependi / Vargem por aproximadamente 20 Km. Existe placa indicativa.
  • Cachoeira Caixão Branco Corredeiras, piscinas e queda d’água. Muita sombra o dia todo.
  • Cachoeira Caldeirão Bem distante do centro, estrada de difícil acesso. Queda d’água com 15 metros de altura e poço para nadar.
  • Casa da Cultura Casarão em estilo colonial onde estão expostas obras de arte de artistas locais e relíquias municipais. Funciona também a biblioteca e o arquivo municipais.
  • Igreja Nossa Senhora de Mont Serrat A Igreja Nossa Senhora de Mont Serrat é tombada pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e é uma das mais visitadas pelos fiéis, que se encantam com a beleza de sua arquitetura e de seu acervo. A Igreja Matriz, como é mais conhecida, foi erguida em meados do sec. XVIII, por volta de 1754. Como foi construída e decorada ao longo dos anos, assimilou características de vários estilos arquitetônicos, como o rococó e o neoclássico. É reconhecida por especialistas como a única do gênero no país.
  • Parque Estadual da Serra do Papagaio Ainda em fase de implantação com altitude acima de 300 m. Possui espécies em extinção, como o papagaio do peito roxo e a araucária brasileira.
  • Santuário de Nhá Chica Francisca de Paula de Jesus, mais conhecida como Nhá-Chica nasceu em 1810, em São João del-Rei. Cerca de oito anos depois, mudou-se para Baependi em companhia da mãe e do irmão Theotônio. Em 1865, mobilizou a população de Baependi para construir a capela de Nossa Senhora da Conceição, que só foi concluída em 1898 três anos após a sua morte. Faleceu em 14 de junho de 1895 e foi enterrada quatro dias depois na igreja que construiu. Seu corpo permaneceu insepulto por quatro dias sem o menor sinal de decomposição. Analfabeta, Nhá-Chica tornou-se celebridade em todo sul de Minas, aconselhando a todos, dos mais humildes aos conselheiros do império. Atualmente, a Beatificação foi confirmada pelo Vaticano a cerimônia marcada para 2013.
  • Usina Ribeirão Usina hidrelétrica, construída em 1911 e tombada pelo conselho municipal do patrimônio cultural.
 
 
Desenvolvido por w9 comunica